Cinema: A Ma Soeur! (2001)

0049O cinema francês anda me chamando e estou atendendo ao apelo. “A Ma Soeur!” (também conhecido como “Fat Girl” ou “Para Minha Irmã”) é um filme de 2001 sobre o qual nada tinha ouvido falar até que me deparei com seu nome na lista dos filmes do Desafio Cinematográfico. Quando fui pesquisar acabei achando a sinopse interessante e por isso cá estamos falando sobre mais um filme francês.

Elena (Roxane Mesquida) e Anaïs (Anaïs Reboux) são irmãs adolescentes. Elena é a mais velha, é mais magra e bonita que a irmã mais nova, a solitária Anaïs, que tem por hábito cantar sozinha e mais observar do que falar. Ambas estão no limiar de idade em que começam a aprender sobre sedução e sexo e vemos elas trocando impressões sobre relacionamentos e amor. Elena planeja perder a virgindade o mais breve possível, com um homem que a ame. Anaïs parece não acreditar que alguém a amará e diz que sua primeira vez será com alguém que não a ame, já que fatalmente não ficará com essa pessoa e não quer que sua virgindade seja um “troféu” para o homem que a tirar.

fat-girl-1024_LRGAcompanhamos essas personagens em suas férias de verão, em uma cidade litorânea onde a família tem sua casa. As meninas têm muita liberdade para andar por aí, com os pais parecendo não se importar com o que façam com seu tempo com a condição que não deem trabalho. Como Anaïs é a mais nova, vê-se frequentemente seguindo a irmã por aí, seguindo seus planos meio a contragosto e em parte com certo prazer por poder fazer coisas que sua idade não permitiria. É em um restaurante da cidade que as duas vão conhecer Fernando (Libero de Rienzo), um estudante de Direito italiano que logo se encanta com a beleza de Elena, os dois engatando imediatamente em um relacionamento observado em detalhes pela sempre presente Anaïs. Elena chega ao ponto de convidar Fernando para algumas noites no quarto que divide com a irmã, onde perde a virgindade com o choro triste de Anaïs ao fundo.

A história obviamente não acaba bem (e dava para ver de longe que Fernando era apenas um cafajeste mais velho tentando ter uma noite com a menina de 16 anos que se achava muito esperta e madura), o que nos deixa com as duas irmãs chorando e sofrendo na volta para casa. Mas o filme não termina por aí, e agora eu vou dar um mega SPOILER então recomendaria a pular as próximas linhas. Ainda está aqui? Pois bem. A volta para casa acaba sendo um evento totalmente desconfortável, com a mãe (fumando igual uma chaminé) dirigindo o carro com insegurança pelas estradas movimentadas, criticando as atitudes de Elena com o rapaz e o comportamento de Anaïs com a comida. E a gente achando que vai terminar assim… Ledo engano. Em uma virada completamente inesperada na história aparece um assassino que mata a mãe e Elena e estupra a assustada Anaïs.

O filme trabalha com essa relação das irmãs com maestria. Por vezes você se pega odiando Elena com todas as forças por suas críticas pesadas à obesidade da irmã e sua aparência, mas também se pega odiando Anaïs por não se tocar de que ela não precisaria estar seguindo os passos e querendo imitar a irmã em tudo. A partir de certo ponto dá para entender, entretanto, que há muitos momentos de carinho e confidência entre essas meninas opostas, que elas são as melhores amigas uma da outra e as únicas na família que estão se entendendo. Os pais são um mundo separado, o pai só se preocupando com o trabalho e a mãe agindo como uma nulidade, uma voz vazia e que nada repara sobre as filhas. Fernando é odiável em todos os aspectos e em todas suas falas, com suas palavrinhas doces de convencimento a uma menina suscetível a qualquer fala de amor.

Anaïs é o centro verdadeiro dessa história, esquisitinha em quase tudo (da aparência a atitude) e que, ao final, tem um breve relance de algo a mais, uma loucura dentro da insanidade do estupro por que passa que acaba sendo um momento de lucidez, como um duplo negativo que se torna uma afirmativa. Ao perceber o que está acontecendo, Anaïs age com certo abandono para tentar que ao menos em parte o ato horrível siga o propósito próprio que a menina havia anunciado antes, de perder a virgindade sem amor.

 

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s