Cinema: Star Wars – Return of the Jedi/ O Retorno de Jedi (1983)

0032.jpgE eu acabei a trilogia clássica bem no dia em que a atriz protagonista faleceu. Conte-me sobre ter os melhores timings do mundo para prever a tragédia… E RIP, Carrie Fisher.

No episódio VI, voltamos a Tatooine, o planeta em que Luke (Mark Hamill) cresceu, para encontrar Jabba, uma criatura asquerosa já vista no episódio IV, que está de posse de Han Solo (Harrison Ford). Através dos esforços conjuntos dos amigos, Han Solo é descongelado e a equipe se reúne novamente, em mais uma missão dos rebeldes.

O Império, que aparentemente não aprendeu a lição do primeiro filme, decide reconstruir a Estrela da Morte. O Imperador (Ian McDiarmid) em pessoa vai fiscalizar a quantas anda a obra e Darth Vader o assegura que vai trazer Luke para o lado negro da força. Os rebeldes planejam uma investida dupla, com Han Solo, Leia (Carrie Fisher), Luke, Chewbacca e os droids agindo para destruir o escudo protetor da construção da nova Estrela da Morte enquanto outras frente age no espaço, incluindo Lando (Billy Dee Williams) no comando da Millenium Falcon, tentando destruir o gerador de energia (SÉRIO? Segunda vez que planejam essa mesma arma e ela ainda apresenta falhas! Os engenheiros do Império são terríveis!). No planeta, eles encontram uma população fofinha de Ewoks que os ajudam nesse plano, por acreditarem que C-3PO (Anthony Daniels) é um deus. (Eu sei que a maioria dos fãs odeiam os Ewoks, mas eles são fofinhos sim e o filme é feito para um público bem mais infantil e inocente que homens gordos de meia-idade, deal with it.).

O segundo encontro entre Luke e Darth Vader, presenciado pelo Imperador (que é um troll e só quer ver o circo pegar fogo) acontece dentro dessa Estrela da Morte 2 e Luke insiste sentir algo de bom no pai. Acaba por deixar os sentimentos contarem ao papis que Leia é sua irmã, um fato que lhe foi revelado pelo espírito de Obi-Wan no segundo treino com Yoda. Darth Vader tem sua redenção e morre logo depois. Luke consegue fugir da Estrela quando esta está próxima de se destruir e encontrar com os amigos, celebrando com os Ewoks e os espíritos de Obi-Wan, Yoda e Anakin a vitória dos rebeldes.

Algumas coisas: esse foi o filme mais longo e mais fraco até aqui. As cenas na caverna de Jabba, mostrando inclusive celebrações, e que mostram a aliança dos Ewoks com os rebeldes foram extremamente longas e um tanto quanto desnecessárias. Em relação ao plot, faltou um bocado de criatividade. George Lucas pecou muito em usar a Estrela da Morte de novo. Criasse outra arma, uma mais potente, porque reeditar a mesma e com a mesma fraqueza foi bem forçado. Para mim outra coisa que não está bem explicada é se o Império deixou de existir só porque o Imperador morreu. Apesar de estarem todos os planetas celebrando, não foi assim que entendi. O filme parece terminar, então, sem apontar a resposta definitiva. Os rebeldes venceram uma batalha, mas a guerra deveria continuar, já que o império não é só uma pessoa.

Esse era o último filme da saga contido no Desafio Cinematográfico, mas eu continuarei a ver os outros por conta própria nesse finzinho de ano. Podem esperar mais posts sobre Star Wars, então.

Advertisements

4 thoughts on “Cinema: Star Wars – Return of the Jedi/ O Retorno de Jedi (1983)

  1. Concordo com você, dos três filmes foi o mais fraco, o meu preferido é o primeiro. E também acho os Ewoks fofinhos, acredito que o erro do filme foi focar no publico de caravana da coragem e não no publico de uma nova esperança. Por outro lado foi esse fim meio em aberto que não mostra a derrocada do império que permite ter tantas direções possíveis para a continuação da história. Além disso o filme tem alguns pontos positivos que quase superam as falhas, a redenção de Vader se juntando ao lado luminoso da força na morte. Uma coisa que eu queria muito que tivesse tido era o momento pai e filha e a Leia Jedi. Acho muito injusto que nos filmes só Luke tenha desenvolvido o potencial quando o espirito de yoda destaca que a força também é poderosa nela, fato que é mostrado no fim quando ela “sente” que o irmão sobreviveu a explosão da segunda estrela da morte ou no 1 filme quando ela resiste a tortura a ponto de impressionar Vader (imagina se soubesse lá que a garota forte era sua filha? Ia inchar de orgulho)

    • Nossa, também senti muita falta dessa interação. Como acho que George Lucas não sabia muito bem onde estava indo com a história, só acrescentou o detalhe dos irmãos no final e, por isso, não desenvolveu essa parte. Trocaria fácil a festinha do Jabba por alguma interação entre pai e filha (e também algum reconhecimento de como Leia é badass durante a trilogia, muito mais até que o Luke)

      • Concordo – ele teve o Ben e o Yoda ela foi com a cara e a coragem – enquanto o povo se borrava do Vader ela encarou firme e forte, mesmo depois de ver Alderan explodir. Nisso ela estava mais próxima do temperamento Jedi que o Luke.

  2. Pingback: Retrospectiva 2016 | Meu Logbook

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s