Cinema: Animais Fantásticos e Onde Habitam (2016)

mv5bmjmxotm1oti4mv5bml5banbnxkftztgwode5otyxmdi-_v1_sy1000_cr006741000_al_Origens: li todos os livros de Harry Potter, sendo que no primeiro tenha exatamente 11 anos (e como J.K. Rowling atrasou um tanto nos últimos livros, acabei bem mais velha que Harry). Fui também em todos os filmes, sempre acompanhada da minha mãe, então essa virou meio que nossa tradição (aliás, minha mãe também leu todos os livros, apesar de hoje não lembrar nem o nome dos personagens).

Agora, posso confessar que nunca gostei do final da história principal? Que foi um baita desserviço aquele final tipo fanfic? E sobre o fandom: nunca me engajei. Creio que muito do fandom se baseia em pessoas que não leram muitas coisas além de HP e não descobriram de onde Rowling tirou suas referências. De certa maneira, ficaram muito no mundinho e a leitura não serviu para abrir os horizontes para outras obras literárias igualmente boas ou superiores à HP.

Mas sobre o filme. “Animais Fantásticos e Onde Habitam” é um livro fininho (fininho mesmo) na vida real, com algumas anotações de Harry sobre os animais descritos. Nas telonas, entretanto, o autor desse livrinho, Newt Scamander (Eddie Redmayne) é um jovem que nos anos 20 viaja da Inglaterra para os EUA, encontrando uma sociedade bruxa e burocracia bem diferente da que deixou no país de origem. O motivo da ida de Newt é falado durante o filme, sendo uma das pequenas surpresas do enredo, então não vou colocá-la aqui. Scamander sempre mantém junto a si uma mala mágica (maravilhosa) que simula pequenos ambientes para cada animal das dezenas que coleta e estuda. O problema surge quando um trouxa abre a mala e alguns dos bichos fogem por Nova Iorque, sendo necessário pegá-los novamente. Em meio a isso ainda há a ameaça de presença de Grindelwald, o vilão dessa franquia, rondando por aí, e também uma força invisível mágica que advém de uma criança mágica que tem contido seus poderes por muito tempo, no núcleo de uma família super cristã e antibruxa.

Para atrapalhar mais ainda Newt ainda há uma ex-auror que o persegue, vendo o perigo da mala do bruxo estrangeiro em um contexto político já bastante complexo. Tina (Katherine Waterston) e a irmã acabam se envolvendo mais do que o esperado nas tramas maiores por causa dessa perseguição a Newt. Além delas, o trouxa Kowalski (Dan Fogler), que vive a maior aventura de sua vida. O elenco conta com outros grandes nomes como Colin Farrell, Ezra Miller (maravilhoso como sempre) e Johnny Depp.

O que eu achei? Loooongo, longo demais. O filme precisa resolver tantos plots em paralelo, e sem poupar tempo em nenhum deles, que o filme demora para se desenvolver e chegar no clímax. Se fosse um livro não seria problema, mas em um filme há de se considerar o fator não-tenho-paciência. Tirando isso, é ótimo voltar ao universo de HP e Newt é um personagem muito carismático, apesar da aparente timidez e embaraço com as pessoas.

P.S.: Se forem assistir, não vão ao UCI! Que volume ridículo é esse? Achei que não duraria 10 minutos assistindo o filme porque o som GRITAVA nas minhas pobres orelhinhas. UCI, querida, qualidade de som não quer dizer aumentar o volume!

Advertisements

One thought on “Cinema: Animais Fantásticos e Onde Habitam (2016)

  1. Pingback: Retrospectiva 2016 | Meu Logbook

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s