Cinema: Taxi Driver (1976)

0024Sobre essas madrugadas maravilhosas que passo assistindo a filmes e lendo: estão acabando, assim como a própria maratona olímpica, que termina nesse domingo. E eu aqui me perguntando como vou viver quando a rotina universitária voltar… *cries in spanish*

Ontem, por exemplo, pude finalmente ver um dos filmes que estava em minha listinha já faz um bom tempo. “Taxi Driver” é um filme de Martin Scorsese, sobre esse veterano de guerra chamado Travis Bickle (Robert DeNiro, tão jovem!) que tenta se adaptar de novo ao seu país após a guerra.

Travis Bickle tem muitos problemas, o maior de todos sendo a completa incapacidade de se encaixar como todos os outros. No começo parece estar fazendo um esforço para prosseguir nessa direção, arranjando o posto de taxista nas noites de Nova Iorque porque tem insônia e paquerando Betsy (Cybill Shepherd), que trabalha na campanha de presidência de Charles Palentine. Progressivamente, conforme a história vai avançando, a estabilidade emocional de Travis aparenta estar desmoronando e quando, após um encontro terrível, Betsy descarta qualquer chance de relacionamento, Bickle acaba voltando seus pensamentos para a limpeza das coisas que acredita estarem erradas, comprando armas e mudando inclusive seu visual. No meio da história, Travis conhece a prostituta de 12 anos Iris (Jodie Foster), uma história que o inspira ainda mais em seu propósito.

MV5BZjQyYTMxYzUtZmNjNC00NWUyLThmMzktNGE5YmIxYzBmYTY3XkEyXkFqcGdeQXVyNjc1NTYyMjg@._V1_SY1000_SX672_AL_Robert DeNiro é fantástico nesse personagem que não se encaixa, sofre com a solidão perpétua e que só confessa seus pensamentos para as folhas de seus diários. Sabemos também que ele não é original de Nova Iorque, oriundo da parte mais rural do país. Isso faz com que seja ainda mais um estranho no ninho caótico de NYC. Muitos dos diálogos que Travis trava dão uma vergonha alheia absurda, especialmente com Betsy. Dá vontade de fazer como o câmera faz em determinada cena e ir para o corredor, para poupá-lo e se poupar de tamanho constrangimento. Quando o personagem dá sua “volta por cima”, ainda assim dá certa vergonha porque nem mesmo seu plano original ele consegue cumprir…

Advertisements

2 thoughts on “Cinema: Taxi Driver (1976)

  1. Pingback: [Maratona Olímpica:] Linha de Chegada | Meu Logbook

  2. Pingback: Retrospectiva 2016 | Meu Logbook

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s