Livro: Ensaio Sobre a Cegueira (José Saramago)

0087Saramago escreve de uma maneira que fica difícil não devorar os livros. Seja pelo encadeamento de ideias e diálogos interessantes, seja pelo próprio fato desses diálogos não serem separados em travessões, incluídos em meio ao parágrafo.

Já conhecia a história contada porque assisti à adaptação cinematográfica de Fernando Meirelles há alguns anos atrás. O conto então estava ainda fresco na memória quando comecei a ler o livro, então.

Sem identificar seus personagens por aparência, etnia ou nome, Saramago conta sobre os fatos que se desenrolam, nos forçando a imaginar (ou não) todos esses traços deles. O primeiro cego descobre a visão mergulhada de repente em um mar de luz branca quando parado diante a um semáforo. A partir dele vamos acompanhando alguns outros personagens que por interação com cegos do chamado mal-branco que vão se tornando cegos eles mesmos a seguir. Entre eles estão um homem que ajudou o primeiro cego (e depois roubou-lhe o carro), a esposa do primeiro cego, os pacientes do oftalmologista onde ele buscou ajuda e o próprio médico, que nada viu de errado com os olhos do paciente, mas achou por bem avisar ao Ministério da Saúde. Uma pessoa, entretanto, terá contato com todas essas pessoas em um contexto de confinamento frente ao que se revela uma epidemia, sem ficar cega. Essa pessoa, a esposa do médico, será também nossos olhos quando os pacientes forem mandados para um manicômio abandonado e deixados sós, apenas com o resto de humanidade que lhes cabe.

A esposa do médico é a única que verdadeiramente verá toda a degradação a que chega a humanidade, o que realmente somos, em nosso egoísmo e nojeira, sem salvações, e desejará diversas vezes ser cega como os outros, para ser poupada de tamanha visão. Após o período no manicômio, os internos saem e encontram o cenário terrível de um mundo tomado pela cegueira por todos os lados. A mulher do médico se deparará com mais atrocidades do lado de fora e, já tendo cometido atos que antes seriam impensáveis em sua realidade normal, com sua personalidade normal, soma ainda mais atos que contribuem para um cansaço enorme, uma devassidão de alma que só ela parece sentir porque só ela pode ver verdadeiramente o nível a que as coisas chegaram.

E então temos nesse livro esse terrível retrato de uma situação fictícia mas que demonstra a que ponto o ser humano chegaria sendo turvado apenas um de seus sentidos, mas o mais nobre deles. Ser organização, sem esperança de salvação e com apenas a luz dos olhos da mulher do médico entendemos um mundo pintado pela volta ao que há de mais primitivo e menos moderno, com o que parece ser o início do fim do homem.

UPDATE: Antes esse post e livro estavam incluídos no Desafio Literário, mas checando aqui na listagem bonitinho… ele não faz parte!

Advertisements

2 thoughts on “Livro: Ensaio Sobre a Cegueira (José Saramago)

  1. Pingback: [Maratona Olímpica:] Linha de Chegada | Meu Logbook

  2. Pingback: Retrospectiva 2016 | Meu Logbook

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s