Livro: Objetos Cortantes (Gillian Flynn)

Objetos-Cortantes

[Aviso: Esse livro, e talvez também o post, podem ser desencadeadores para pessoas com transtornos de ansiedade e auto-mutilação, não sendo assim recomendado para esses públicos.]

Nessa minha segunda leitura de Flynn, outro mistério se desenrola, e eu já não sei mais se não gosto de livros do gênero porque simplesmente nunca busquei ou se realmente a autora é uma mestra no estilo.

A protagonista é Camille Preaker, uma jornalista alocada em Chicago que precisa voltar para a cidade-natal de Wind Gap para cobrir uma história. Camille não deseja esse retorno e detesta a ideia de rever a família, mas retorna com a ideia de ficar bem pouco tempo. A história em questão é o assassinato de duas meninas da pequena comunidade de pouco mais de 2.000 habitantes. Ann Nash e Natalie Keene após mortas têm seus dentes retirados, o que faz crer na presença de um assassino serial. A polícia parece não ter muitas pistas sobre o porquê, estando perdidos na investigação.

Camille se vê novamente no casarão da família, onde a mãe Adora, uma presença estranha e não amorosa em sua vida, fica a perguntar a cada momento quando é que ela vai embora, o padrasto Alan parece vegetar no espaço e a meia-irmã adolescente Amma alterna momentos de infantilidade e rebeldia (os últimos sempre bem escondidos de Adora). A jornalista é por vezes assombrada ainda pela lembrança da irmã Marian, que morreu na infância. É após a morte da irmã que Camille começou a cortar-se. Pequenas palavras a princípio, soltas, que foram perdendo o significado até tomar todo seu corpo, à exceção de um círculo nas costas e de mãos e rosto. Por vezes, Camille sente quando uma palavra em específico parece voltar à vida, gritar na pele de modo elétrico, a palavra perfeita para descrever um momento.

Meio que para evitar qualquer demora ou presença na casa da mãe, Camille começa a investigar com grande afinco o caso, conversando com todos os envolvidos, mesmo os que parecem não ter recebido muita atenção do investigador especial, Richard Willis, que fora enviado para lidar com o caso. É assim que se aproxima do suspeito principal, o irmão mais velho de Natalie e também da meia-irmã Amma, com quem nunca teve muita convivência.

O mistério em si do livro, quem é o culpado pelos crimes e o que ocorreu com Marian, não é difícil de descobrir. Uma pista bem lá no começo já te leva à conclusão correta. O que prende mesmo é o clima da história, essa relação tão disfuncional entre a repórter e qualquer um de sua família, a cidade com seus personagens tão estranhos. Há mesmo um certo clima de terror nessa cidade, onde parece que todo mundo tem algo a esconder e de onde apenas Camille conseguiu fugir da loucura, não sem cicatrizes.

Advertisements

4 thoughts on “Livro: Objetos Cortantes (Gillian Flynn)

  1. Pingback: Retrospectiva 2016 | Meu Logbook

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s