Livro: The Age of Innocence (Edith Wharton)

0071

Passados alguns séculos, finalmente terminei mais um livro do Desafio. Foi necessário um carnaval para que finalmente passasse dos 50% em que estava presa há algum tempo.

“The Age of Innocence” é o primeiro romance que leio de Edith Wharton e deixou uma impressão muito boa da autora. A história gira em torno de Newland Archer e da sociedade high-class nova-iorquina dos anos 20. Newland é um filho dessa classe alta cheia de pequenas regras e costumes, regras de vestimenta e costume, de visitas e relações familiares que podem ser mantidas ou não a partir da visão do “o que os outros vão pensar”. Apesar da mãe e da irmã extremamente imersas nesse contexto de pequenas picuinhas, Newland se considera um tanto fora da curva, afinal ele leu tanto, estudou tanto que não pode ser igual aos demais, certo? Bem, não tanto assim.

Newland começa o livro noivando com May Welland, uma conexão que todos consideram favorável e esperada. O próprio Newland parece se enganar de que a ama, com sua beleza loira e atlética e sua inocência, como se a visse como uma folha em branco que ele pudesse moldar de acordo com seus gostos. A chegada inesperada da prima de May, a Condessa Ellen Olenska faz com que Newland perceba o que poderia ter de verdade. No passado, Newland e Ellen ensaiaram uma relação amorosa que nunca se concretizou e Ellen acabou se casando com um conde europeu. Ellen é diferente das mulheres que Newland conhece, sendo bem mais livre das rígidas regras sociais, permitindo-se travar relações com quem quiser e morando em um bairro boêmio de artistas. E, pior de tudo, Ellen decide se divorciar do marido (o horror dos horrores para sua família). Nunca fica muito claro o que aconteceu entre Olenski e Ellen, mas a fato foi grave o bastante e Newland como advogado teve acesso aos documentos, o que somado com sua afeição pela recém-chegada, faz com que Archer tome completamente seu lado e sua defesa, o que vai contra toda a família de May espera dele.

Archer tem ciúmes e procura Ellen ativamente e é correspondido pela mulher, mas ambos sabem que com o compromisso que assumiram anteriormente a situação é completamente desfavorável. Archer incentiva o divórcio de Ellen, ao mesmo tempo em que pensa em romper seu compromisso, mas a notícia de que seu casamento será antecipado acaba pegando-o de surpresa. Posteriormente, em outra tentativa de “fuga” dos dois, uma notícia ainda mais inesperada acaba separando os dois novamente e não vou falar mais que isso, mas o final foi uma das coisas mais bem escritas e tocantes que já li, repleto de uma emoção delicada e nostálgica.

A autora conduz o enredo com bastante tato e me peguei em certos momentos completamente imersa no pensamento daquele grupo de pessoas, agarrando minhas pérolas ante a perspectiva do desenrolar das escolhas dos personagens principais. Há sempre a escolha de se conformar às regras sociais a que nascemos e conhecemos, aquela que todos nossos familiares e amigos seguem e a de procurar a felicidade, o maior desejo, que necessariamente te afastará de todos esses outros conhecidos, lançando a pessoa na indecisão e na solidão de só ter a pessoa amada e mais ninguém. Como disse, o fim é especialmente bonito e entra em acordo com tudo que foi construído até ali.

Advertisements

One thought on “Livro: The Age of Innocence (Edith Wharton)

  1. Pingback: Retrospectiva 2016 | Meu Logbook

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s