Livro: The Virgin Suicides (Jeffrey Eugenides)

0068

Comecei 2016 na convicção de que deveria ler prioritariamente o que eu quero, livros que já estão na lista há muito tempo, fazem parte do Desafio Literário e eu ficava torcendo para serem sorteados (mas eles nunca eram).

Há alguns anos atrás assisti o filme baseado no livro, mas como a obra literária não é exatamente como o filme, algumas coisas foram surpresas. “The Virgin Suicides” é narrado na primeira pessoa do plural por um grupo de homens adultos que se reúne para relembrar os eventos de suas adolescências, que em grande parte moldaram suas vidas.

Em um bairro de subúrbio americano nos anos 70, esse grupo de garotos se dedica admirar (e stalkear) as cinco filhas adolescentes do casal Lisbon. São elas: Cecelia (13 anos), Lux (14), Bonnie (15), Mary (16) e Therese (17). As meninas se parecem muito entre si, sendo todas loiras de olhos azuis, e os meninos tendem a não diferenciá-las nos primeiros momentos. Por vezes elas mesmas se tomam por um grupo e não por identidades próprias, andando sempre juntas na escola e não tendo outras amigas que não as irmãs. Grande parte disso é culpa dos pais das meninas. O casal Lisbon desincentiva a amizade com meninos e a vida social como um todo. Mas o evento que realmente marcará a comunidade e os narradores é, como diz o título, o suicídio coletivo desse grupo de meninas.

Se me lembro bem, no filme as cinco cometiam o ato juntas. Entretanto, no livro começamos pelo suicídio de Cecelia. Após uma tentativa frustrada e da intervenção psiquiátrica, a Sra. Lisbon consente em armar uma pequena festinha em casa, convidando esse grupo de meninos narradores que serão testemunhas da apatia de Cecelia e de sua nova tentativa de morte, dessa vez bem sucedida. Um ano depois, na data da primeira tentativa da caçula, esse grupo é chamado mais uma vez para testemunhar as mortes restantes. Sem querer dar spoilers mas já dando… uma das irmãs falha nessa tentativa e só vai morrer algum tempo depois, quando a greve dos coveiros completa um ano e acaba. E nem todas morrerão virgens também…

Boa parte do livro vai se passar nesse ano entre a morte de Cecelia e a morte das outras meninas, quando os meninos aprendem mais sobre os traços próprios de cada uma delas e conseguem visualizá-las mais como as adolescentes normais que são, abafadas pela educação católica muito rígida, e não como bibelôs de estante como antes. Lux, principalmente, parece destoar das outras, sendo mais rebelde, namorando e se metendo em confusões que acabam levando a mãe a tirar as meninas da escola e trancafiá-las em casa. Quando o pai das meninas, que era professor na escola, é demitido, a família toda passa a sofrer esse confinamento. A situação de higiene que já não ia muito bem desde a morte de Cecelia se deteriora. A casa e a saúde das meninas refletem a decadência dos Lisbons, até o fato culminante.

Apesar do começo ser mais agitado, a narração desse ano em que há quatro meninas é feita de modo mais lento e às vezes um pouco arrastado. Ironia terrível é se pegar pensando em certa hora “quando a próxima vai morrer?” só para querer que a história dê uma movimentada. Há toques na história que dão um ar de fantástico: o fim da greve dos coveiros na última morte, o colapso gradual da casa pelo lado de fora enquanto as meninas morriam em vida lá dentro e a decadência da própria cidade depois que elas partem… É um livro que fica na cabeça depois da leitura. Muitas respostas não serão dadas e há um ar de inocência perdida nesses meninos, que nunca serão os mesmos e sempre remoerão seus primeiros contatos com a morte.

Advertisements

One thought on “Livro: The Virgin Suicides (Jeffrey Eugenides)

  1. Pingback: Retrospectiva 2016 | Meu Logbook

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s