Livro: Clair de Lune et Autres Nouvelles (Guy de Maupassant)

Estava sentindo falta de ler em francês, então peguei mais um livro de contos curtos do Maupassant para matar a vontade e fui lendo praticamente um conto por dia, bem devagarinho. E esses contos eram:

Clair de lune: É sobre um abade, um homem que tem certeza absoluta dos desígnios de deus e que crê saber ler seus sinais com precisão. Aparenta ter um ponto de vista sobre as mulheres bastante misógino. Quando escuta de um conhecido que sua jovem sobrinha anda se encontrando de noite com um homem, vai tomar providências, mas a luz da lua que ilumina o casal é tão especial que o demove da ideia, vendo ali um sinal de deus.

Un coup d’état: Em uma cidadezinha, dois homens disputam a prefeitura. No poder está o servidor do império e um médico local, republicano, tem ganas de tomar o controle. Com as notícias vindas da capital da queda do império, o médico leva suas forças para cercar a prefeitura. Nada acontece por um bom tempo, parecendo que ele não tem coragem de levar o intento adiante, até que o prefeito desiste e sai por suas próprias forças. Ninguém na cidade dá importância para a vitória do médico.

Le loup: História da caça a um lobo e de uma família que não caça mais. Tive que procurar Mr. Google para lembrar do que se tratava, esqueci completamente dessa história.

L’enfant: Essa tem um quê de “Une Vie” para mim. Um homem, Jacques Bourdillère, que já curtiu muito da vida se apaixona por uma menina e decide se casar com ela. Apesar dos boatos de que ele vivia com uma senhora de mais idade e das histórias que rolam, os pais da guria aprovam o casamento. Jacques ignora consistentemente as cartas da mulher durante o namoro e noivado. No dia do casamento é chamado às pressas, durante a festa. A mulher deu à luz a uma criança naquela noite e Jacques fica com ela até seu último suspiro de vida, retornando a sua casa de madrugada com o bebê nos braços. A mulher, que nem teve sua primeira noite, quando à par da situação, diz que eles criarão o bebê.

Conte de Noël: Olha o problema: esqueci do que se trata e o Google está barrando todas as minhas pesquisas com uma tela branca linda. Se lembrar posso vir editar depois, se não vai ficar por isso mesmo.

La reine Hortense: Uma velha com um monte de cachorros (de quem ela não parece nem mesmo gostar tanto) vive sozinha, com as irmãs e seus maridos e filhos a visitando poucas vezes. Não que faça muita diferença porque ela não parece se importar muito com as irmãs nem as irmãs com ela. Quando cai doente, as duas são chamadas e ficam esperando sua morte. A velha começa então a falar como se tivesse vários filhos pequenos, ralhando e cuidando dessas crianças imaginárias e de seu marido inexistente.

Le pardon: Uma jovem inocente se casa. O cara tem um caso e a mulher, muito inocente, acredita quando ele dá uma desculpa esfarrapada da mulher ser uma conhecida. Ela quer se encontrar com a mulher e as duas ficam amigas, passando dois anos muito felizes, até que a amante cai doente e o marido sai correndo de casa. A mulher vai procurar uma coisa no quarto e descobre um papelzinho que evidencia a realidade de que os dois estão se pagando há um tempão. Ela se sente enganada e traída e pára de falar com o marido. Depois de um ano ela o perdoa.

La légende du Mont Saint-Michel: Só o título já me causa arrepios porque na época que fazia francês minha turma teve que apresentar um trabalho chato sobre o Mont Saint-Michel. A lenda de Maupassant diz sobre uma disputa entre Satan e o arcanjo São Miguel, em que o arcanjo teria o castelo em cima do monte e ludibriava continuamente Satan para cultivar em suas terras sem pagar o que deve. São Miguel não é legal não…

Une veuve: A sobrinha lede uma senhora pergunta sobre uma mecha de cabelos que a tia solteirona traz presa ao dedo. A tia conta então a história de uma família em que os homens agiam de modo muito apaixonado e como um deles, seu primo que ela conheceu quando ele era um menino e ela já uma adolescente, se apaixonou por ela e jurou se matar caso ela o “traísse”. Ele parte para a escola e volta com 13 anos. Como ela nunca confiou de verdade que o menino agisse seriamente, achando que eram arroubos de criança, ela havia noivado. O que acontece com o moleque você já deve suspeitar.

Mademoiselle Cocotte: Cocotte era uma cadelinha vira-lata muito legal e fiel, muito amorosa com seu dono. Só tinha um problema: Cocotte era uma queridinha entre os cachorros também, sendo rodeada por uma matilha de machos que causavam problemas por onde passavam e faziam com que Cocotte parisse ninhadas frequentes. O dono da fazenda pede para o serviçal, o dono de Cocotte, para se livrar dela ou ele será despedido. O serviçal faz de tudo para “perdê-la” e abandoná-la, mas não tem jeito, a bichinha sempre acha o caminho de volta. Mesmo morta ela acha o caminho até o dono…

Les bijoux: M. Lantin se casa com uma mulher muito correta, que o mima e é boa administrando o dinheiro do marido, fazendo dele um cara bem feliz. Só tem um problema que ele vê: a obsessão da mulher com bijuterias. Quando a mulher morre, M. Lantin fica muito triste e sofre horrores para fazer o orçamento render, passando dificuldades. Decide então vender as bijuterias por qualquer preço. Levando para avaliar uma peça, descobre então que todas elas saíram de uma mesma joalheria e são jóias de verdade, muito caras. É tomado de raiva por saber que a mulher as recebeu de algum homem. Vende, então, todas as jóias e se demite do trabalho. Casa-se depois com uma outra mulher, que apesar de honesta e fiel, faz com que ele sofra.

Apparition: História de fantaaaaasma. Um velhinho lembra de algo que aconteceu no passado e ainda o aterroriza. Uma vez, para ajudar um amigo, o cara vai buscar uns papeis na casa que o amigo vivia com a mulher falecida. Ele mesmo está nervoso e quer fazer tudo rápido, mas aí aparece a mulher pedindo para ser penteada. Depois ele ainda crer ter sido um sonho, mas aí tem um “fio de cabelo no meu paletóóó”. Não encontra o amigo porque o maluco desapareceu.

Advertisements

One thought on “Livro: Clair de Lune et Autres Nouvelles (Guy de Maupassant)

  1. Pingback: Retrospectiva 2015 | Meu Logbook

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s