Livro: O Demônio e a Srta. Prym (Paulo Coelho)

Olá!

Estranho me ver mais frequentemente por aqui? Pois decidi que não vou deixar que a faculdade atrapalhe minha leitura, hmpf! Até porque ela decidiu que eu não vou ter férias de meio de ano. Se minhas notas vão cair? Provavelmente mergulhar além do nível vergonhoso em que já se encontram porque eu nunca aprendi a estudar regularmente, só de véspera, elas não irão…

11143699_937147932973582_7034595124896806856_nMas vamos ao que interessa. Sorteei mais uma vez a próxima leitura do Desafio Literário pelo random.org. Como disse antes, gosto dessa surpresa marota de não saber onde vou aportar com esse sistema. E caiu em “O Demônio e a Srta. Prym” de Paulo Coelho (e assim que acabei de escrever essa frase falaram dele na TV. Bizarro os poderes desse mago…).

O enredo da história é simplíssimo e a escrita de Coelho também. Em um vilarejo no meio da natureza chamado Viscos (que existe de verdade e fica no sul da França) chega um estrangeiro que carrega consigo a forte presença do diabo. Viscos sofre com a falta de jovens (inclusive não tem crianças) e toda sua pequena população vê com preocupação e inevitabilidade a proximidade do fim de seu modo simples de vida. Em breve eles terão que ceder e permitir a compra do local por uma grande empresa ou, como seus filhos e netos, deixar o local pela modernidade.

No único hotel trabalha no bar uma das poucas jovens do local, Chantal Prym, que busca meios de partir da cidade de vez, apoiando-se na possibilidade dos visitantes masculinos que poderiam tirá-la de lá. A chegada do estrangeiro a deixa interessada, mas acaba se revelando um suplício quando ele a chama e mostra um tesouro enterrado na floresta, capaz de salvar a cidade e a jovem do marasmo de uma vida em Viscos, e lhe oferece a condição para ter acesso ao ouro: Chantal terá que anunciar que o ouro existe, que ela o viu, e deixar a cidade toda saber que o terão em mãos se assassinarem alguém em um período de tempo definido.

O estrangeiro esconde sua identidade real e a história triste que o levou até Viscos. Essa história o levou a buscar o lugar mais pacato do mundo para testar se a humanidade é em sua natureza má ou boa. Apenas uma velha na cidade consegue enxergar o diabo no estrangeiro, tendo-o esperado por longos anos, sempre sentada diante de casa. Agora, como termina a história eu me permito deixar em aberto para que você leia e descubra, mas vou dizer que eu achei um tanto decepcionante por se apoiar em uma tecnicalidade para oferecer uma fuga e não apresentar um desenlaçar digno.

A figura de Paulo Coelho, assim como de Romero Brito, é naturalmente odiada na internet, mesmo por aqueles que não se deram o trabalho de lê-lo. Não vou dizer que é o melhor autor que já li. O texto dele não me cativa, mas eu não gosto muito do tema místico naturalmente. Mas o autor também está longe de ser o pior autor que já tenha lido e a história consegue sim prender o leitor. Gostando ou não, você quer saber o que acontecerá a seguir na cidadezinha e como eles vão decidir a questão apresentada. O texto é simples e, talvez por isso mesmo, atraia tantos leitores para as obras de Coelho, apresentadas como uma filosofia religiosa acessível e curta a muitos públicos.

Advertisements

2 thoughts on “Livro: O Demônio e a Srta. Prym (Paulo Coelho)

  1. Pingback: Desafio Literário: #0001 ao #0050 | Meu Logbook

  2. Pingback: Retrospectiva 2015 | Meu Logbook

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s