Música: Eurovision 2015 – Os ventiladores, as árvores e os heróis somos nozes

Esc2015logo

Mais um post que levou dias para tecer. Quando você vê todos os americanos reclamando online, pode apostar, chegou essa época do ano. São três dias, muitas músicas para escutar e um textão para escrever. E eu amo essa tosqueira toda. Pega o balde de pipoca, abre uma abinha aí do lado com o vídeo das apresentações e vamos juntos julgar fortemente os participantes desse Eurovision.

Esse ano, seguindo a tradição de o país do campeão do ano anterior sedear o evento, as apresentações ocorreram na Áustria. Vocês ainda lembram da ma-ra-vi-lho-sa Conchita Wurst, né?  O que esperar desse ano, então?

Semi-final 1 – 19/05/2015 (link):
* Primeiro deixa eu dizer que a apresentação inicial da deusa Wurst foi uma das melhores ideias desse negócio. Parou a apresentação antes do fim, apresentou todo mundo e voltou para humilhar as inimigas. Aliás, vamos entregar esse programa para Conchita, deixem logo ela apresentar isso sozinha.
Preferi as entradas dos países do ano passado, com a criação das bandeiras, esse ano foi meio meh…*
01) MOLDÁVIA – I Want Your Love: Assim, não tem chance de vencer, né? E esse fetiche todo na policial? Me senti assistindo TV brasileira: música repetitiva e closes na bunda. E moço, você não exatamente tá me convencendo que quer o amor da rapariga, né? Se ainda fosse um dos policiais… (**)
02) ARMÊNIA –  Crepúsculo encontrou os anos 80 e deu nessa criança estranha. Que apresentação bizarrinha. Tanta gente cantando, a família Cullen inteira, e uma floresta das trevas lá atrás. A contagem das árvores começou aqui. Parecia mais a cena de um musical (barato) do que Eurovision. E o ritmo era meio desencontrado também… (***)
03) BÉLGICA – Rhythm Inside: Sabe que eu até gostei? Tem aquela vibe de música pop puxadinha para o alternativo. O mocinho cantava bem, o povo de branco treinou bastante movimentação no palco. Ficou bacana. (*****)
04) HOLANDA – Walk Along: Música pop genérica. Qualquer dessas cantoras mais genéricas americanas já cantou uma versão dessa mesma canção. Why-ai-ai-ai, Holanda? Sonozzzz. (**)
05) FINLÂNDIA – Aina Mun Pitää: Finlândia mandou um foda-se para o Eurovision, né? Tirou o pó de uns velhinhos punks com problemas mentais e mandou eles se apresentarem enquanto cuidavam de coisas mais importantes nas terras frias e mandavam as boas bandas para o Japão fazer matinê… (**, porque os velhinhos são simpáticos)
06) GRÉCIA – One Last Breath: Pensei que a moça ia cantar Creed. Foi a mesma aura derrotista, mas tentando imitar os maneios de “Rise Like a Phoenix”. Fia, não. E esse ventilador no cabelo? E esse piano branco no palco? Isso ainda se usa? A música não é de todo ruim, mas é cópia de outros sucessos e tão descarado que dá vergoinha. (**)
07) ESTÔNIA – Goodbye to Yesterday: Taí o estilinho de música que eu gosto mesmo. É simples, é boa, as vozes combinam com o estilo… A apresentação também foi simples e bonita. Ah, vou baixar essa budega e escutar mil vezes. (*****)
08) MACEDÔNIA – Autumn Leaves: Começo estranho, uma coreografia meio estranha. Aí surgiram os trigêmeos ali atrás e a apresentação deu a volta para mim, ficou tão ruim que ficou bom. Da próxima vez, coloca só os trigêmeos, por favor. A música, infelizmente, continuou fraca até o fim. (***)
09) SÉRVIA – Beauty Never Lies: Queria gostar da música, mas não rolou. E quando o povo tirou a roupa e virou uma rave. Que bizarrice sem propósito. Acho que a Sérvia não queria ganhar também. (**)
10) HUNGRIA – Wars For Nothing: A Hungria está #chateada com as guerras. POR FAVOR, CHEGA DE ÁRVORES LÁ NO FUNDO! E chega de músicas politicamente corretas para ganhar votos. Se ainda fossem boas, mas todas chatas, poxa! (*)
11) BIELORRÚSSIA – Time: Apelou no violino aí, amigão! A música não é nada demais sem ele. Aliás, a letra não faz sentido! Time is like thunder? O que você quer dizer com isso? Eu quero saber porquê o gato mia, Verde por fora, vermelho por dentro é a melancia! (**)
12) RÚSSIA – A Million Voices: Rússia não entra para perder, né? A cantora era muito boa. A música é previsível, mas cumpriu a missão dada. Quem brilhou foi mais a cantora do que a música. (***)
13) DINAMARCA – The Way You Are: Esse menino abre a boca demais. A banda tentou incorporar um estilo anos 60 e teve uma hora que escutei um semi-plágio de “Killer Queen” do Queen ali na letra, outra hora uma outra música em outro canto. Copiaram e colaram um bando de músicas, né Dinamarca? Não foram classificados, então tanto faz… (**)
14) ALBÂNIA – I’m Alive: Eu tô viva, você tá vivo, hey hey hey… Insossa. Não me animou nem me desanimou. Em nenhuma hora gostei ou desgostei, o que é algo estranho se tratando de música… O ventilador de cabelos estava extremamente ativo esse ano. (***)
15) ROMÊNIA – De La Capat (All Over Again): Sempre gosto quando cantam no idioma original do país. As chances de ganhar diminuem, mas é tão lindo. Essa música, por exemplo, eu gostaria em inglês também, mas em romeno ganhou um quê a mais, uma pegada mais emocional. (*****)
16) GEORGIA – Warrior: A prima gótica foi chamada para a reunião de família! Foi interessante, principalmente porque a música tá mais para Katy Perry que Lacrimosa, mas o visual enganava. (***, só porque não esqueceram de chamar os parentes estranhos)

Classificados: Albânia, Armênia, Bélgica, Estônia, Georgia, Grécia, Hungria, Romênia, Rússia e Sérvia.

Semi-final 2 – 21/05/2015:
01) LITUÂNIA – This Time: 
Taylor Swift, o que cê tá fazendo aí, rapariga? Barbie e Ken cantando música country, tendo beijinho no meio da apresentação. Pronto, resumi procê. Nem precisa ver esse show, até porque a música é facilmente esquecível. (**)
02) IRLANDA – Playing With Numbers: Altas expectativas porque eu lembro de ter adorado a música irlandesa do ano passado. Mas adivinha quem resolveu usar árvores de fundo também? A música é depressiva, para depois daquele término sofrível. (**)
03) SAN MARINO – Chain of Lights: WTH? Tô podendo afirmar com alguma certeza que San Marino tem uma camada na fronteira que impede que a modernidade chegue lá. Ano passado foi brega e esse ano eles se superaram nesse quesito. San Marino, que ano é aí? Em que guerra estamos no momento? Por que tem umas três músicas dentro da sua música concorrente? (**)
04) MONTENEGRO – Adio: Cantada no idioma do país? Já começamos direito. Estou adorando não entender as letras e ter que procurar a tradução. Essa, por exemplo, achei que seria bem mais alegre por causa do ritmo, mas ela é triste pacas e o cara canta sorrindo o tempo todo. (****)
05) MALTA – Warrior: Outra guerreira. Deve ser a irmã mais velha daquela nossa prima gótica da Georgia. Tem jeitão de canção pop que faria o maior sucesso se fosse cantado por alguém famoso, mas como é Eurovision ninguém vai ligar. (***)
06) NORUEGA – A Monster Like Me: Gostei da musiquinha. Parece uma trilha sonora para um novo filme de “A Bela e a Fera”. Quando pensei isso, não pude mais “despensar”. Agora precisa ser trilha sonora dessa nova adaptação que tá vindo aí. (****)
07) PORTUGAL – Há Um Mar Que Nos Separa: Tenho sempre tantas esperanças para Portugal. Torço mesmo para mandarem um negócio bom. Uma coisa boa sobre esse ano: A música do ano passado foi pior. Tadinha da menina ali no palco, gente. Não animou nem a mãezinha dela em casa. (**)
08) REPÚBLICA TCHECA – Hope Never Dies: O que é esse cantor magia, minha gente? #pleasecometobrazil. A música em si não é nada de fenomenal, mas na comparação com as outras ela até ficou boa. E a moça tirou os sapatos e chamou para a DR ali mesmo! Como eu poderia dar nota baixa para esse casal, como??? (***)
09) ISRAEL – Golden Boy: Mais um filhinho de mamãe. Eles sorteiam isso para cada ano alguém falar com a mãe? Aí de repente a música virou para a night e ficou boa! And before I leave, let me show you Tel Aviv. Eu ri. (****)
10) LETÔNIA – Love Injected: Câmera longe, zoom, câmera longe, zoom. PÁRA COM ISSO SENHOR PRODUTOR! Deu uma epilepsia de leve aqui. A iluminação lá atrás parecia o trono de ferro de GoT. Teve uma hora que a moça ficou muito louca, mas ela já não parecia muito sóbria para começar. Não era uma música ruim, apesar dessas edições muito loucas de imagem. Depois da segunda vez que você escutar ela vai ficar melhor. (****)
11) AZERBAIDJÃO – Hour of the Wolf: Mucho loco o cara de coleira ali. Replicar o estilo dos clipes da Sia agora é tendência. A apresentação parecia uma versão do “Elastic Heart”, com direito até à peruquinha. E moço, nem fala em não dormir essa noite! Não brinca com coisa séria que eu tô necessitada de descansar. (***)
12) ISLÂNDIA – Unbroken: Ou, o país para onde um dia eu vou me mudar. Agora, essa menina tem idade pra estar aí? Música genérica também. Próxima! (**)
13) SUÉCIA – Heroes: Esquece o que eu falei da Rep. Tcheca. Suécia, pode mandar os nudes tudo. E a apresentação foi tão fofa, deu mais brilho a uma música em que eu normalmente apenas pularia. (***)
14) SUÍÇA – Time to Shine: Mais árvores lá no fundo! Cês já tão fazendo isso só para me irritar, né? Fui fazer outras coisas na hora de brilhar da moça. Desculpa aê. (**)
15) CHIPRE – One Thing I Should Have Done: Olha, confissão: Eu me apaixonaria fácil pelo nerd cantor. E a música… também parece um pouco colagem de músicas conhecidas, que deram certo. Mas eu gostei ainda assim. Ou tô vendo coraçõezinhos, sei lá. (*****)
16) ESLOVÊNIA – Here For You: A voz da moça causa um choque, esteja preparado para os primeiros segundos de música. Ela mesma não quer se escutar e teve uma hora que o parceiro dela também não aguentou mais. Eu escutaria essa canção mais umas vezes e sairia cantarolando por ae í. (****)
17) POLÔNIA – In The Name of Love: Sabe o que teve no fundo? AS ÁRVORES SOMOS NOZES! Faltou criatividade. A voz da moça é bonita, mas a canção em si é aquilo né? Nada de nada de novo. (**)

Classificados: Azerbaidjão, Chipre, Eslovênia, Israel, Letônia, Lituânia, Montenegro, Noruega, Polônia e Suécia.

Pré-Selecionados:
FRANÇA – N’Oubliez Pas: 
Achei bem fraquinha, bem sonolenta. O momento forte da música não é tão forte assim e acaba não puxando para cima. A apresentação foi boa, mas não salvou o todo. (***)
REINO UNIDO – Still In Love With You: Com certeza não é o que eu esperava do Reino Unido… Tentava replicar a aura dos anos 50/60 e acabou soando apenas chata e nem todo o show de luzes da aurora boreal poderia salvar essa música pra mim. Três minutos demoraram a passar. (**)
AUSTRÁLIA – Tonight Again: É. Austrália em um festival europeu. Vai entender os colonizados e sua vontade de se integrar. Começou parecendo com alguma canção que eu já conhecia (aquela parte do do what you want, do what you want), mas ela é boazinha, animadinha… (***)
ÁUSTRIA – I Am Yours: Mais uma daquelas músicas que parece que já existem por aí, que eu já escutei antes. No caso, Jesus estava cantando e eu ainda gostei da música plágio. E quem não gosta de ver piano pegando fogo? (****)
ALEMANHA – Black Smoke: Essa menina estava tão nervosa dando entrevista na semi-final que eu achei que ela não ia conseguir cantar. Que surpresa! Ela no palco estava super confiante e a música é muito boa. Viciante. (*****)
ESPANHA – Amañecer: Estou a semana toda escutando que a música da Espanha era fortíssima, que já era campeã… A apresentação ganhou muitos pontos, mas ainda assim não achei essa maravilha toda. Os europeus gostaram muito, entretanto. (***)
ITÁLIA – Grande Amore: 
O grupo que se apresentou é o “Il Volo”, que é bem conhecido, então eu já sabia que ia ser bom. E os três rapazes cantam em italiano, aí o S2 bamboleia, né? Uma das melhores apresentações, com certeza. (*****)

E as votações, meu povo, aquele momento em que sempre rola umas tretas entre os participantes e pode levar a acidentes diplomáticos aconteceu. Antes da votação circulou que o sueco já fez comentários homofóbicos, o que pegou bem mal (e com razão) e parecia que ia fazer diferença nos votos. A Rússia, obviamente, sempre sofre do mesmo mal. Mas os dois países dispararam na frente logo no começo das votações, Itália também estava por ali, mas não conseguia atingir os dois. Todos os outros países ficaram a léguas de distância dos dois primeiros, que eram quem realmente disputava. Sabe a Espanha, de que tanto tinham falado? Ficou na listinha da direita, daqueles que não pontuaram quase nada. Outra curiosidade: a pessoa que anunciou os resultados do Reino Unido foi a Nigella Lawson, coisa mais aleatória…

Teve uma hora que todos começaram a torcer pela Suécia loucamente, só para evitar que a Rússia vencesse. O anunciante da Rússia, inclusive, deu uma trollada na hora de falar o país. Aí a Suécia deu uma disparada e aconteceu: A SUÉCIA (#mandanudes) VENCEU! A partir de então foi só aumentar a diferença com os poucos países restantes.

Então é isso meu povo, até o ano que vem na Suécia!!!

MansBack1-790x526

Advertisements

One thought on “Música: Eurovision 2015 – Os ventiladores, as árvores e os heróis somos nozes

  1. Pingback: Retrospectiva 2015 | Meu Logbook

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s