Filme: Oldboy (2003)

Oldboy-2003-Movie-Poster

Quando se está tão viciada em programas coreanos como eu estou existe um limite de quantas vezes você pode ver referências a “Oldboy” sem correr para assistir o filme. E já estava ficando vergonhosa minha ignorância, sendo que assisto “Running Man” e “The Return of Superman”. Ontem resolvi que era hora de vencer essa barreira cinematográfica que ainda existia.

Quando encontramos Oh Dae Soo (Choi Min Sik) pela primeira vez ele está bêbado, em uma delegacia, arrumando confusão e passando vergonha. Nas mãos, um brinquedo para a filha pequena que está fazendo aniversário. Um amigo vem buscá-lo, mas no meio tempo em que param para ligar para a casa do bebum, ele é sequestrado. Dae Soo fica preso em uma espécie de quitinete, comendo bolinhos fritos todos os dias, com apenas uma televisão para aprender sobre o que se passa lá fora. É pela TV que ele descobre que a mulher foi morta e seu sangue achado no local do crime, sangue este que vemos ser retirado de Dae Soo nos constantes períodos em que um gás enche o quarto e ele cai desacordado. O protagonista chega a tentar se matar, mas até isso é negado a ele. Passa então a escrever um longo diário, tentando se lembrar de todas as pessoas a que um dia possa ter feito mal e que queiram se vingar. A partir do sexto ano, Dae Soo acaba desenvolvendo uma postura vingativa, fortalecendo corpo e mente para cumprir essa resolução. Quando está às portas de conseguir fugir, Dae Soo acorda em uma mala no alto de um prédio no local onde estaria o beco de onde foi sequestrado. Passaram-se quinze anos desde aquele dia. Com ele, só um celular, seus diários e a vontade de descobrir quem o prendeu e seu motivo.

Em uma de suas primeiras paradas, Dae Soo acaba em um restaurante de comida japonesa onde conhece Mido (Kang Hye Jung), uma jovem chef que o leva para casa após ele desmaiar. A amizade é um tanto perigosa para Mido, mas ela lê os diários dele, se solidariza e não arreda pé frente aos problemas, enquanto Dae Soo tenta encontrar as pistas para realizar sua vingança. Ele descobre que o prédio em que passou aqueles 15 anos é uma empresa criminosa que presta serviços a terceiros e passa então a procurar quem contratou o serviço, o que levará a uma enorme revelação no final e a uma decisão inesperada.

É um filme violento, tanto emocionalmente quanto visualmente. A indústria cinematográfica coreana toma muito mais liberdades do que a televisiva e faz parecer até que são dois países diferentes que produzem as obras. Não me chocou muito por dois motivos: já conhecia a linguagem cinematográfica mais artística do país e antes de assistir o filme já tinha sido informada do grande plot twist. O tempo todo o que fiquei pensando era como o enredo me lembrava dos mangás voltados para o público adulto que lia na adolescência. Procurando hoje descobri que “Oldboy” é baseado em um mangá e tudo fez sentido.

Acabei descobrindo também que há uma versão americana, que deve ser uma b&¨%, porque muito do enredo e da fotografia são particulares do contexto asiático e não funcionam quando transplantados para outra racionalidade.

Foi, com certeza, o melhor filme que assisti esse ano, tirando o posto de “Snowpiercer“, que apareceu por aqui antes. É uma história cujo final ainda vou ficar remoendo, tentando decifrar as nuances implícitas.

oldboy

Advertisements

4 thoughts on “Filme: Oldboy (2003)

  1. Pingback: Retrospectiva 2014 | Meu Logbook

  2. Pingback: K-Drama: Healer (2014-2015) | Meu Logbook

  3. Pingback: Filme: Sympathy for Mr. Vengeance (2002) | Meu Logbook

  4. Pingback: Desafio Cinematográfico: 1001 filmes para ver antes de morrer | Meu Logbook

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s