K-drama: To The Beautiful You (2012)

Wallpaper-to-the-beautiful-you-32442338-1280-720

E querem me convencer que a pessoa no meio passaria por másculo em um ambiente em que os outros quatro estão…

 

Sabe quando eu falei no post passado que eu era viciada em mangás e comecei a ver k-dramas por causa dessa adaptação de Hana Kimi, um dos meus shojos preferidos da vida? Então, o que eu esqueci de contar era que eu estava reassistindo a série porque me bateu um saudosismo de dramas colegiais e gender-bender.

Como já havia dito, eu amo o mangá de paixão e há muito tempo atrás esbarrei nas internet com a adaptação japonesa e com as notícias da adaptação coreana. Assisti a japonesa e fiquei no aguardo da última e quando saiu foi uma grata surpresa.

406365_488965337798934_1344681448_n

Choi Min-Ho

 

To The Beautiful You” (ou “For You In Full Blossom”) é uma série de 16 episódios protagonizado pela Choi Sulli, da grupo f(x), no papel de Goo Jae-Hee. Jae-Hee é uma garota que se disfarça de garoto e vai dos EUA para a Coreia em busca do sonho de ver seu ídolo, Kang Tae-Joon (Choi Min-Ho, do Shinee) saltar novamente. Tae-Joon sofreu uma lesão e parece estar prestes a desistir do esporte completamente quando Jae-Hee aparece no colégio interno, exclusivo para garotos, e passa a dividir o dormitório com ele.

À princípio a presença de Jae-Hee é um incômodo para Tae-Joon, que passa muito tempo evitando sua presença e querendo expulsá-la do quarto, mas depois forma-se uma amizade que descamba para o amor quando Tae-Joon se dá conta da realidade da situação da roommate. (E é impressionante que nenhum dos alunos tenha descoberto antes porque o rosto da Sulli é sinônimo de feminilidade).

Mais bonita que essa relação, entretanto, é a forte amizade entre Jae-Hee e Cha Eun-Gyeol, e todo muendo que já viu um k-drama na vida vai perceber o que acontecerá com o pobre coração de second lead do rapaz (e se você viu “You Are Beautiful” vai perceber no exato momento em que ele entrar em cena).

Não lembro com detalhes da versão japonesa, mas sei que ela se apresentava mais próxima do exagero do roteiro do mangá do que a versão coreana, mais puxada para a realidade (ma non troppo, como é de se imaginar). Do que sinto falta da versão nipônica é a força da amizade entre a personagem principal e os outros alunos que não o atleta de salto em altura e o melhor amigo. Quando ela se despede de todos na primeira versão há um real sentimento de tristeza pois deixaremos de acompanhar toda uma gama de personagens que se tornaram queridos. Na versão coreana isso parece mais forçado e a despedida não corresponde de fato ao que assistimos durante a série, quando Jae-Hee conversava quase que exclusivamente com quatro personagens (incluindo o médico da escola e o líder do dormitório). De modo geral, a construção dos relacionamentos, inclusive entre os protagonistas, deixou um pouco a desejar e nem era problema dos atores e sim do roteiro. O único que realmente emociona é o relacionamento entre Jae-Hee e Eun-Gyeol. O romance demorou para esquentar e quando ocorreu ficou muito limitado por aqueles abraços típicos de k-dramas, em que uma parte abraça enquanto a outra fica olhando estupefata para a origem do universo, sem reação. Beijinho que é bom dá para contar nos dedos de uma mão.

TTBY01-00802

“Miracle is another name for hard work”

 

Outra implicância que tenho é da aparente falta de objetivos de Jae-Hee nas ações. A certa altura sabemos que Tae-Joon é um ídolo porque em determinada fase de sua vida ela passou por momentos difíceis e uma frase de Tae-Joon fez toda a diferença. O sonho dela é à princípio fazê-lo voltar ao esporte, mas depois isso fica meio nublado e é difícil entender o que de fato ela deseja estando ali. E não ajuda em nada as ameaças frequentes e não realizadas de retorno aos EUA…

Tenho a tendência de perdoar muito na atuação de idols em dramas, mas pelo menos nesse drama não precisei apelar muito para esse lado. Sulli e Min-Ho fizeram um trabalho muito melhor do que muito ator dito profissional (Park Shin-Hye, eu estou olhando para você).

A fotografia e os cenários são muito bonitos. O alojamento é ryco, muito melhor do que qualquer quarto em que eu tenha dormido na vida e, por tratar de um tema esportivo em paralelo, as filmagens das competições são muito boas. Acreditei piamente que o Min-Ho e o rival praticavam salto em altura, com todos aqueles takes maravilhosos em 360º deles dois em movimento sobre a barra.

Outro ponto que já havia atinado minha atenção e voltou a me impressionar nessa segunda vez assistindo a série foi o OST. Tudo a ver com o clima colegial e com um ótimo casamento entre canção e momento narrativo, a trilha sonora é com certeza um dos pontos fortes da trama. Pessoalmente, gosto muito de “Stand Up” da J-Min, mas todas as outras músicas são bonitas e contribuem para o clima das cenas.

To-the-Beautiful-You_590x330

Advertisements

2 thoughts on “K-drama: To The Beautiful You (2012)

  1. Pingback: Retrospectiva 2014 | Meu Logbook

  2. Pingback: K-Drama: Sungkyunkwan Scandal (2010) | Meu Logbook

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s