Música: Eurovision 2014 – Melhores e Piores

Como queria ter escrito esse post antes! Não faltou vontade, mas faltou Felizberto, que agora resolveu que eu só posso ter um acesso extremamente limitado (e apenas com Internet Explorer) e que era melhor eu me virar só com o celular. Ah, meu velhinho… Cada vez desejando mais o meu bem e me afastando das influências negativas do mundo virtual…

Mas já que por pelo menos três dias eu tenho acesso a esse bloguito, vou aproveitá-los e escrever um monte de posts por dia. E para começar os trabalhos, Eurovision!!!

_74761420_74761419

 

Então, primeira vez que eu vi a disputa e quando vi já sabia quem era a vencedora, mas ainda assim… COMO EU VIVI TANTO TEMPO SEM ISSO? Eurovision é a mistura de qualidade e bizarrice, de reality show com um propósito com a palhaçada e eu du-vi-do você não sair por aí cantarolando as suas músicas favoritas e se revoltar quando os outros países não dão a quantidade de pontos que você acha que elas merecem.

Para quem não sabe como funciona: Eurovision é uma disputa de canções que existe desde os anos 50 e reúne os países da (mas adivinhe!) Europa, em um esforço pela união e confraternização entre os povos (blá blá blá idealista). Cada país inscreve uma música e elas disputam as preferências de um júri e do próprio público. Algumas já ficam pré-selecionadas antes das semi-finais começarem. Os votantes não podem escolher seu próprio país, se não onde estaria a graça? Na contabilização final, esses países votam por um sistema de distribuição de pontos, sendo o maior 12. Ganhar 12 pontos é um baita negócio e eles costumam ser dados para países vizinhos por causa da política de boa vizinhança. O ganhador do ano anterior sedia o próximo evento, o que faz com que alguns países selecionem músicas bizarras de propósito quando não tem condições de promover a festa. Então, acabam se misturando no mesmo palco algumas palhaçadas e algumas músicas originais ótimas.

A competição de 2014 foi em Copenhagen e a próxima, sob essa lógica, será na Áustria (BUM! Spoiler para os desinformados!). Recomendo ler acompanhando no Youtube. Minhas impressões sobre os candidatos:

1ª Semi-final (clique aqui):
01) Armenia – Not Alone: 
Então… Mais gostei do cantor do que da música em si. Ela começa fraca, mas no refrão estoura. Fiquei com uma sensação entre o amor e a indiferença, mas no final era uma das canções que eu cantarolava. [****]
     02) Latvia – Cake To Bake: Uma música sobre a necessidade de assar um bolo. COMO NÃO AMAR O EUROVISION?! Tá no clube das “não votem em nós, por favor, não queremos vencer, mas vamos fazer vocês sorrirem nesse meio tempo”. [** e um :D]
     03) Estonia – Amazing: Só vi a apresentação por causa da dança performada. Peguei raivinha das músicas eletrônicas do Eurovision e depois esperava para ver se elas iam melhorar antes de pular para a próxima. [*]
     04) Sweden – Undo: UuUuUndo my saaaad. Essa conseguiu dar a volta e ficar boa. Tão viciante! É do tipo que você vai decorar mesmo sem querer, apesar da letra ter seus toques de “mas heim?”. A Europa concordou e ela ficou em 3º! [*****]
     05) Iceland – Prejudice: And it puh puh puh puh puh puh puh. Ou, como acabar com sua tentativa de criar uma música com mensagem social através de uma letra especialmente idiota. Não tentaram ganhar e não me fizeram sorrir. [*]
     06) Albania – One Night’s Anger: Eu gostei bastante dessa música e da voz da cantora. Fiquei com peninha dela não ter entrado na final. [*****]
     07) Russia – Shine: Polêmica, babado e confusão. As irmãs gêmeas da Rússia sofreram um bocado com vaias direcionadas à política do país. A apresentação delas foi um bocado brega mas a música até que era engraçadinha. O irônico é que a música delas pedia mais amor, por favor. [***]
     08) Azerbaijan – Start a Fire: ZzZzZzZzZz. Musiquinha boa para tirar um cochilo depois do almoço. [**]
     09) Ukraine – Tick-Tock: Tem um homem-hamster no palco!!! Eu quero um homem-hamster! E a música? Sei lá, só sei que tem algo a ver com um relógio e eu não gostei. Agora deixa eu voltar a assistir o homem-hamster. [* e ***** pro cara que corria na roda]
     10) Belgium – Mother: Complexo de Édipo bateu legal aqui. Meio sickening ficar escutando e nem gostei da voz do intérprete. [*]
     11) Moldova – Scarlet Soul: Intérprete legal, com um baita vozeirão e uma roupa que explicitava que ela não tinha mais mercy, I have no feelings of mercy. [**]
     12) San Marino – Maybe: Eu poderia ter dado o troféu de breguice para a Rússia, mas fica com San Marino. O que foi a combinação dessa música dos anos 80 com a concha atrás? Por deus, San Marino, estamos no século XXI já. [**]
     13) Portugal – Quero Ser Tua: QUE VERGONHA! Os 50% portugueses nesse meu corpinho não se aguentavam de vontade de se esconder. Por que essa mistura de lambada com a letra mais vergonhosa que pode haver? Vamos Portugal, a gente consegue fazer bem melhor que isso. [Nenhuma estrelinha e uma carinha querendo se esconder]
     14) The Netherlands – Calm After The Storm: Com essa música eu achava que eles iam começar a cantar “Every Breath You Take” toda hora. Não deu pra me concentrar e do que eu pude captar parecia country americano. Mas o povo gostou. [***]
      15) Montenegro – Moj Svijet: Quando eu vi pela primeira vez, não liguei muito para ela por causa da barreira da língua. Agora é que fui procurar a versão em inglês e até que curti mais. [****]
     16) Hungary – Running: Se eu ainda corresse, provavelmente baixaria essa música como motivacional. No contexto da competição, achei fraquíssima. [**]

2ª Semi-final (clique aqui):
     01) Malta – Coming Home:  É uma música pop bem regular, sem surpresas. Deveria ter um refrão mais forte para justificar o crescendo da música. Mas não, então… [***]
     02) Israel – Same Heart: Tanto gestual com as mãos, tão pouca relevância musical. Gostei mais da parte em hebraico do que da em inglês porque acho que o idioma soa bem. [**]
     03) Norway – Silent Storm: O cara me entra tatuado e com jeitão de mal e canta uma música que quase me faz chorar. Linda, linda, linda.  And there’s a silent storm inside me, and someday I’ll be calm. Maravilhosa. Pena que a Europa não amou tanto quanto eu. [*****]
     04) Georgia – Three Minutes To Earth: Mas gente… que coisa esquisita. Passando pela dança de costas da menina até a sonoridade riponga. E tããããão looonga. [*]
     05) Poland – We Are Slavic: Eu até agora não entendi se era sobre o orgulho de ser uma mulher eslava ou uma grande objetificação delas. Os homens adoraram porque peitos e a música ainda ficou em oitavo lugar geral. É bizarra, mas não dá para esquecer tão fácil e tenho certeza de que o povo ainda a lembrará no ano que vem. [**]
     06) Austria – Rise Like a Phoenix: RAINHA DA EUROPA! DIVA! MARAVILHOSA! Conchita mereceu essa vitória mesmo. Além da música ser lindamente interpretada, a letra tem força e a voz da Conchita a segura muito bem. You’ve got to see, to believe. [*****]
     07) Lithuania – Attention: Posso dormir agora? Depois da Conchita, heim fia? Não daria mesmo para competir com essa música. [*]
     08) Finland – Something Better: Banda de meninos bem novos. Musicalmente, parecem querer se aproximar de uma fórmula pop-rock. Visualmente, entretanto, devo dizer que achei bem interessante. Se o vocalista quiser cantar essa música aqui em casa, aí eu penso em aumentar essa nota. [*** e uma piscadela insinuante]
     09) Ireland – Heartbeat: Gostei um bocado dessa música. Tem elementos tradicionais muito bons e é bom ver algum país realmente se esforçar para referenciar a própria cultura. E a dança irlandesa lá atrás: só amor! [****]
     10) Belarus – Cheesecake: Tem uma vibe meio Robin Thicke e acho que é muito proposital. Ele devia se unir ao pessoal que precisa assar o bolo da primeira semi-final. Seria culinariamente interessante. Ainda assim, é grudenta e dá vontade de dançar. Eu sempre danço sentadinha quando escuto e só por isso vou dar essa nota. [****]
     11) Macedonia – To The Sky: Tão chatinha, tanta vontade de dormir… [*]
     12) Switzerland – Hunter Of Stars: Toda a potência dos assobios em uma música. Estranhamente, gostei um bocado. [***]
     13) Greece – Rise Up: Música eletrônicazZzZ. Música de academia. [*]
     14) Slovenia – Round and Round: Então. Nesse ponto eu já estava dando skip a torto e a direito. E essa música recebeu tal honra. [**]
     15) Romania – Miracle: Outra música eletrônica? Se eu vi dez segundos dessa apresentação foi demais. [**]

Pré-selecionadas:
     – Germany – Is It Right: Adorei essa música, adorei a voz da cantora. Só achei que a apresentação podia ser mais espetacular, foi super simples para o padrão Eurovision. [****]
France – Moustache: Saca essas bandas quase humorísticas, tipo LMFAO? Acho que eles queriam seguir essa tendência. Eu não gosto do estilo, então… [** só por cantar em francês]
Italy – La Mia Città: Canção bonitinha, mais bonitinha porque italiano é lindo. Mas fraca, né? [***]
Spain – Dancing In The Rain: Música pouco memorável, apesar da menina ter um vozeirão. Eu, por exemplo, até esqueci que ela havia sido apresentada. [***]
Denmark – Cliche Love Song: Eles queriam muito que essa música fosse do Bruno Marz. Tem o mesmo estilo até, mas não tem força pra competir contra Riiiiiiiiiiiiise like a phoeniiiix. [***]

Meio dia depois, consegui terminar esse post. E ano que vem tem mais Eurovision!

Advertisements

2 thoughts on “Música: Eurovision 2014 – Melhores e Piores

  1. Pingback: Retrospectiva 2014 | Meu Logbook

  2. Pingback: Música: Eurovision 2015 – Os ventiladores, as árvores e os heróis somos nozes | Meu Logbook

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s