Livro: O Grande Gatsby (F. Scott Fitzgerald)

Image

Mais uma das minhas releituras para o desafio, “O Grande Gatsby” acabou por se tornar uma grata surpresa. Já relatei aqui que tenho um certo preconceito contra os autores americanos e, apesar de já ter lido o livro, conservava um certo ranço de não gostar tanto assim de um dos clássicos da literatura americana.

Seja porque eu o li quando ainda era muito nova, seja porque simplesmente não me importei muito com o livro à época, a verdade é que não liguei muito para “O Grande Gatsby” a não ser a partir dessa releitura.

O narrador do livro é Nick Carraway, recém instalado em Long Island vindo do meio-oeste. Traz com ele todos os sonhos de crescer por meios próprios através do negócio de títulos. Ele é primo de Daisy, uma mulher que, apesar de seu charme irresistível, vive um casamento não muito feliz com Tom Buchanan e tem pleno conhecimento (assim como suas relações) da infidelidade do marido. Tom não tem muitos escrúpulos em levar Nick para Nova Iorque junto à amante, Myrtle Wilson, e mostrar a vida nada paralela que ele anda vivendo. Myrtle é casada com um mecânico que anda negociando a compra de um carro com Buchanan. No apartamneto em Nova Iorque ela age como uma espécie de madame, mas sem as regalias que seriam atribuídas a uma.

Nick é vizinho da mansão de Jay Gatsby e, por um bom período, só conhece o furor das festas que ele dá durante os fins de semana, até o dia em que recebe o convite para participar ele mesmo de uma. Lá ele reencontra Jordan Baker, que já havia conhecido na casa de Daisy e Tom, e ela o apresenta a Gatsby. Apesar das festas magníficas, o dono da casa parece não tirar exatamente proveito das diversões que oferece. Há uma melancolia no personagem que vai permear a história até o fim. Os personagens que aparecem nas festas de Gatsby são um tanto quanto excepcionais também e a grande maioria da multidão que lá farreia nem mesmo conhece o mestre da casa e andam pelos cantos espalhando boatos sobre o que faz dele tão rico.

Não muito tempo se passa até que o próprio Nick descubra quem realmente é Gatsby e quais são suas intenções com essas festas. Antes de ser enviado para a guerra, o então jovem Gatsby havia vivido um breve romance com Daisy e busca na atualidade os meios de atrair sua atenção e retomar seu romance exatamente do ponto em que haviam deixado. Ele acredita piamente que um amor tão forte quanto o que sentiam não se desfez e é possível reconquistar Daisy e viverem felizes para sempre. Mas é claro, as coisas mudaram.

O clímax da história e o caminho até o fim dela são o ápice dessa tristeza. Não houve como evitar que eu odiasse as figuras de Tom e Daisy e a falta de escrúpulos com que agem em relação a Gatsby. No final, sua figura serve apenas como joguete para o grande jogo entre Tom e Daisy. Eu, inclusive, não teria o estômago para cumprimentar Tom, como Nick o faz no final, antes de retornar para o lar da família no meio-oeste.

Advertisements

2 thoughts on “Livro: O Grande Gatsby (F. Scott Fitzgerald)

  1. Pingback: Retrospectiva 2014 | Meu Logbook

  2. Pingback: Desafio Literário: #0001 ao #0050 | Meu Logbook

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s